Prof. Doutor José Maria Tallon

“Porque a nossa missão é estar um passo à frente, no que diz respeito às preocupações estéticas e de saúde em geral dos nossos pacientes, continuamos a fazer todos os esforços no sentido de procurar novas soluções no campo da investigação médica, estética e cirúrgica para ajudar a manter os nossos pacientes ‘up-to-date’ com os elevados padrões de exigência da nossa sociedade.”

A obesidade é um enorme desafio para a saúde à escala global

Um estudo recente, que estimou as tendências do Índice de Massa Corporal (IMC) em 200 países e territórios em pessoas de 5 anos ou mais, relatou que o número mundial de mulheres adultas com obesidade aumentou de 69 milhões em 1975 para 390 milhões em 2016, enquanto o número dos homens com obesidade aumentou de 31 milhões para 281 milhões, no mesmo período. O estudo também mostrou que as tendências crescentes no IMC de crianças e adolescentes parecem estar a estabilizar em muitos países mais desenvolvidos, embora em níveis elevados.

A obesidade está associada a uma maior mortalidade e é um fator de risco para o desenvolvimento de várias condições comórbidas, como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares. Além disso, também tem consequências económicas consideráveis. Os custos diretos de saúde da obesidade são altos e os indivíduos obesos têm um aumento de 36% nos custos anuais de assistência médica e um aumento de 77% nos custos de medicamentos, em comparação com os seus equivalentes de peso médio. Adicionalmente, a obesidade tem vários custos indiretos causados ​​pela redução da produtividade e do absentísmo devido a doença ou incapacidade e mortalidade prematura precoce.

A nossa resposta a este problema global é feita através de uma abordagem científica, razão pela qual temos vindo desde sempre a acompanhar e a desenvolver os maiores esforços no sentido de nos mantermos na linha da frente do conhecimento científico.

Tallon, J.M. (2019). Tese de Doutoramento em Ciências Químicas e Biológicas. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.